estudo / a revelação do soutien

O tamanho de soutien de uma portuguesa deixou de ser um 36C ou 34B. Apresentamos os dados reveladores sobre o soutien certo: agora os tamanhos mais frequentes são o 32E e 34F! 5 anos de experiência permitiram ter uma valiosa amostra sobre a realidade no uso de soutien. No total, foram feitas 52 261 consultas de Bra Fitting e foram aconselhadas 28 742 mulheres nas nossas lojas (até 31 de outubro 2014). Numa consulta, cada cliente é aconselhada individualmente no provador. Este aconselhamento é obrigátorio e é prestado a cada cliente, pelo que não se pode comprar lingerie sem prova e sem aprovação de uma consultora de lingerie. Todas as provas e compras são registadas. 

34% das mulheres não sabe o tamanho de soutien que usa!

Quando aconselhamos, tentamos sempre indagar que tamanho de soutien usam mas, em 34% dos casos, a cliente não soube responder à pergunta e também não era possível verificar no seu soutien por falta da etiqueta.

99% das mulheres usa o tamanho errado de soutien!

Segundo o que referiram, e o que verificamos no soutien que estavam a usar, a maioria das mulheres pensa ser um tamanho 34, 36 ou 38 de costas e com copa entre B e C. Depois do aconselhamento, mudam para outros tamanhos bem diferentes do que os que mencionaram.

36C e 34C - os tamanhos errados mais usados pelas portuguesas!

As que sabiam o tamanho, referiram que usavam os tamanhos 36 C, 34B, 36B, 34C e 38C. Curiosamente, estes tamanhos que se consideram mais “comuns” são os mais errados!

Quais são os erros que as mulheres cometem?

É frequente a banda das costas marcar e subir nas costas. Ao mesmo tempo, a copa é pequena e cria o efeito de “peito duplo”. Muitas vezes, o aro fica por cima do peito e pode criar incómodo. A falta de espaço na copa faz com que o peito fique “achatado”, muito junto, colando um seio ao outro, o que provoca transpiração e irritações na pele. No caso do peito mais volumoso, se não estiver devidamente suportado, toca e pressiona o estômago. No caso do peito pequeno, as copas ficam quase sempre afastadas do peito e o soutien não suporta nem favorece a silhueta. Outro problema comum são as alças, que suportam erradamente o peso do peito e apertam em demasia. Podem também escorregar dos ombros, devido ao uso do tamanho errado ou pelo desgaste e perda de elasticidade do tecido. O uso do soutien errado resulta na má postura de costas, pressão excessiva nos ombros e até pode fazer com que o peito fique flácido e descaído. Estes danos são irreparáveis!

Por que usam o tamanho errado?

É um mix entre a falta de aconselhamento e a pouca oferta de tamanhos. O aconselhamento só é possível quando uma loja tem ampla oferta de tamanhos: de 28 a 46 de costas (dos mais pequenos até aos maiores) e trabalha com todas as copas: A, B, C, D, DD, E, F, FF, G, GG, H, HH, J, JJ e K. Por falta de opções confortáveis e bonitas, algumas mulheres chegam mesmo a deixar de usar soutiens com aros ou optam por desportivos ou redutores. Estas escolhas não resolvem o problema mas devido à falta de escolha, infelizmente são as “soluções” mais comuns.

32 E e 34 F são os tamanhos verdadeiros mais frequentes!

Depois de mais de 50 mil aconselhamentos na Dama de Copas, quais são os verdadeiros tamanhos das portuguesas? Pasme-se! O 32 E e o 34 F são os mais comuns, seguidos pelo 32 F, 34 E e 30 F. Estes dados também podem ser compartimentados por faixas etárias. Até 20 anos, o tamanho mais usado é o 30. Entre os 30 e 50 anos, o tamanho de costas varia entre o 30 e o 32. A partir dos 50, o tamanho de costas mais usado é o 34. Em todas as faixas etárias, o tamanho mais comum de copa varia entre E e F. Isso significa que ao longo dos anos a mulher vai ganhando peso e o tamanho de costas vai aumentando. No entanto, a proporção entre o peito e as costas mantem-se igual.

Uma mulher pode vestir até 5 tamanhos distintos dentro da mesma marca!

O tamanho de soutien pode variar com o modelo, o tipo de copa (mole ou moldada) e a profundidade, tecidos e acabamentos usados. O tamanho até pode mudar com a cor do tecido como no caso de soutiens pretos que tendem a ser mais justos do que os beges. Assim, cada modelo de soutien tem de ser sempre provado! Compras online estão fora de questão.

Sem espuma ou com espuma?

Podemos verificar que a copa mole (sem nenhuma espuma) acaba por se adequar a mais mulheres do que a copa moldada. Cerca de 70% das mulheres preferem copas moles em oposição às restantes 30% que optam por copas moldadas. A razão principal será porque os soutiens de copa mole adaptam-se um pouco mais à fisionomia do peito e suportam melhor. As costuras tornam-os mais resistentes e dão formas distintas ao peito, desde o formato bicudo até ao redondo. Os modelos com muita espuma são mais procurados e funcionam só no peito mais pequeno, ou seja, nas verdadeiras copas A, B e C. Ao contrário do que se pensa, o mo-delo “Push up” não é o mais procurado. O efeito Push Up muitas vezes é confundido com o efeito do peito levantado. No tamanho e modelo certos, qualquer tipo do peito fica levantado, suportado e centrado!

Que estilo do soutien é mais adequado?

Em termos de tipo de soutien, 30% das mulheres adequa-se mais ao estilo balconnet em copa mole, com o decote e esterno médio e alças mais na ponta das copas. É um tipo de soutien muito versátil e assenta bem na maior parte dos peitos. Logo a seguir, o estilo que se adequa melhor é o full cup em copa mole, com 29% a usar este soutien mais subido na copa, com o esterno alto e que abarca o peito por completo. As portuguesas escolhem estes dois estilos porque encaixam na perfeição, são como uma segunda pele e o peito fica imobilizado. A seguir, os mais apreciados são os estilos plunge e sweatheart moldados, ambos representam 16%. Têm o esterno mais baixo e são ideais para “juntar” o peito sem o espalmar. No caso do plunge, é mais subido na zona de axila em comparação com o sweetheart, que cobre melhor a zona do peito e dá um decote em forma de coração. O balconnet em versão moldada ocupa o 4º lugar (12%), que na versão “half-cup” cobre o menos possível da parte superior do peito, criando o efeito “maçãs no cesto”.

Cada vez mais são escolhidos modelos cai-cai e desportivos!

Além dos soutiens para dia a dia, existem outros modelos que começaram a fazer parte da vida das portuguesas. O cai-cai sempre foi uma dor de cabeça para a maioria das mulheres, que muitas vezes evitavam roupa que pedisse tal modelo. Em comparação com a venda de soutiens com alças, os cai-cais representam 18% em 2014. A preocupação em fazer exercício e ter um estilo de vida saudável tem vindo a aumentar. Assim, a procura de um soutien desportivo eficaz e que garanta a sustentação também cresceu. Em comparação com venda de outros estilos de soutiens, o de desporto representava 6% em 2012. Já em 2014, o valor duplica e sobe para os 12%.

A mulher portuguesa gosta de lingerie colorida e com padrão!

A parte estética também dita as escolhas das portuguesas, apesar de ser comum pensar-se que os básicos são os protagonistas. Pela nossa experiência dos últimos 5 anos, as clientes preferem os coloridos (38%) e só depois optam pelo bege (27%), preto (21%) e branco (14%). No entanto, somando as percentagens de lingerie em cores básicas, mais de 62% das compras foram destas cores. As cores mais apreciadas: roxo, azul, beringela, vermelho, rosa e amarelo. As portuguesas gostam mais de soutiens com cor única do que com padrões. No entanto, estes funcionam desde que sejam mais pequenos, num mix de cores dentro das mesmas tonalidades, padrões animal print e florais.

As portuguesas não costumam fazer conjuntos...

Em comparação com vendas por soutien, as cuecas representam só 20%. Em cada 5 soutiens é vendida 1 cueca. Normalmente, para os básicos, as mulheres não valorizam o conjunto e não se importam de vestir uma cueca diferente do soutien. O aspecto económico tem também influência, pois a cueca de conjunto vale cerca de 50% do preço do soutien. Outra questão é que usam cuecas vendidas à parte, normalmente em 100% algodão. No entanto, investem mais em conjuntos diferentes e mais trabalhados e aqui a percentagem sobe para 40%. Através das consultas e modelos apresentados, sabemos que mais mulheres começaram a apostar em conjuntos para que se vistam bem por dentro e por fora.

Qual é o estilo de cueca mais usado?

As portuguesas tendem a escolher mais boxers de cintura média pois são confortáveis e não marcam na zona da anca e nádegas. A seguir, optam por cuecas de cintura alta que são ótimas para vestidos e saia e ajudam a modelar e apoiar a zona da barriga. A cueca brasileira de cintura média e baixa também é procurada pelo público mais jovem devido à sua versatilidade. Os estilos menos escolhidos são as cuecas de cintura baixa e o fio dental.

Foi uma surpresa? Assim é possível reformular por completo a ideia do soutien certo e o seu papel na vida das mulheres portuguesas!